IT Forum 365
Internet das Coisas exige atenção com conexão e segurança

Internet das Coisas exige atenção com conexão e segurança

A definição de internet das coisas (IoT, da sigla em inglês Internet of Things) é simples: tudo fala com tudo, por meio de sensores, numa rede compartilhada. Os dados, porém, não devem apenas ser coletados e transmitidos, mas também possibilitar algum tipo de ação. Estes são alguns desafios que precisam ser superados para a disseminação do conceito:

Sensores
A sensorização em gadgets é algo relativamente simples, e todos os dias são criados novos objetos para interagir com as pessoas, incluindo os não-eletrônicos ou elétricos e os muito pequenos. Para estes últimos, faz-se uso da nanotecnologia. Na comunicação máquina com máquina (M2M, machine to machine, do inglês), uma ou mesmo ambas podem não ser necessariamente máquinas, mas sim objetos com sensores que coletam e compartilham as informações mais relevantes. Por exemplo: uma cadeira pode ter um sensor para coletar informações como o tempo de vida útil do objeto, os hábitos de quem a utiliza, as formas incorretas de se sentar e a depreciação do material – tudo isso sem qualquer intervenção, com a informação sendo enviada para alguém ou algum aplicativo. Essa é a área que precisa de padrões sobre como operar e uma solução robusta que possa ser usada comercialmente para reduzir os custos de implementação.

Big Data
O volume de informação gerada pelos sensores é outro desafio a ser endereçado. Pegando a demanda de um jato comercial nos Estados Unidos, por exemplo: nesse caso, os sensores do motor vão gerar 20 terabytes de dados por hora. Se for tomado como base o volume de voos comerciais nos Estados Unidos, com uma duração média de 2,5 horas cada, e presumindo que cada avião tem dois motores que vão gerar dados, o montante chegaria a mais de 1 milhão de petabytes por ano. Este será o impacto da IoT no armazenamento, capacidade de processamento e largura da banda da infraestrutura de TI.

Conectividade
A tendência de crescimento da IoT também se reflete em transformações na área de conectividade. Em alguns casos, será necessário criar uma internet segregada para determinadas coisas, como uma VPN (virtual private network), mas, mais do que isso, será necessário trabalhar com o Bluetooth 4.0 e Near Field Communication (NFC) para fornecer dados sem precisar de uma conexão com a internet. Carros interagindo entre si, com as vias, faróis, placas e a polícia são exemplos de conectividade que gera informações para tomada de decisões rápidas, como evitar acidentes.

Segurança
Por fim está a segurança, uma grande preocupação da IoT, já que as máquinas automatizadas irão interagir o tempo todo, ligando as informações de uma residência ao smartphone do usuário, por exemplo. Com o imenso número de dispositivos surgindo a todo o momento no mercado, é preciso também trabalhar nas inúmeras alternativas de conexão do ponto de vista da segurança dos usuários.

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2016 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.