IT Forum 365
Medicine doctor hand shows tablet computer with medical computer interface as concept

Transformação digital: 5 tendências que vão mudar a assistência à saúde

Prontuário eletrônico, telemedicina e IoT são três delas; saúde digital já é uma realidade

Mais de 75% dos pacientes de todo o mundo esperam utilizar, em torno de cinco anos, serviços digitais de saúde, como aponta pesquisa feita pela consultoria americana McKinsey & Company. Esse cenário é reflexo da transformação digital, que atinge diversas áreas e instituições ao redor do mundo, no qual todos os processos estão baseados em soluções de tecnologia e em uma plataforma aberta de comunicação e integração de dados.

Na saúde, ela impulsiona o surgimento de ferramentas que permitem um atendimento mais seguro e ágil, com diagnósticos precisos e baseados em informações em tempo real.  De um lado, os pacientes podem, de maneira mais rápida, acessar informações, obter resultados de exames e, assim, receber um tratamento melhor; de outro, médicos e prestadores de serviços têm em mãos o registro de todos os dados, graças a soluções como Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) e consulta de dados por meio de ferramentas de analytics.

Trata-se, portanto, da integração de pacientes médicos. Veja, a seguir, como isso é possível:

1. Telemedicina e telerradiologia
Consiste em utilizar a internet para agilizar as avaliações e emissão de laudos. Com a telemedicina, médicos e especialistas de diversas áreas podem trocar informações à distância, acessar exames feitos em qualquer local e discutir casos de um mesmo paciente. Para os médicos, a tecnologia permite o acesso e a integração de pesquisas clínicas e a troca de dados importantes; para o paciente, expande o acesso a especialistas e proporciona um atendimento qualificado e mais seguro.

2. Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP)
Sistema de registro médico padronizado e digital, que que reúne as informações sobre o paciente. Usado para substituir o papel, permite que todos os dados fiquem armazenados em um só lugar, protegidos por senha e criptografia, para que apenas pessoas autorizadas tenham acesso. Além de maior agilidade de consulta, propicia um diagnóstico mais preciso e seguro, já que o histórico de internações, os resultados de exames, as indicações médicas, as receitas de medicamentos e as consultas realizadas estão armazenadas em um único local, o que possibilita que todo o corpo clínico fique interconectado evitando erros por falha de comunicação.

3. Checagem beira-leito
Tecnologia móvel integrada ao PEP que garante a administração correta dos medicamentos, já que em seu registro há todas as informações e prescrições. Qualquer droga solicitada pelo médico é identificada pelo painel de checagem e, dessa, forma, o enfermeiro tem certeza sobre os procedimentos. Isso evita duplicidade ou troca de medicação e possíveis interações medicamentosas.

4. Internet das Coisas (IoT)
Possibilita a conexão de vários dispositivos, formando uma rede de comunicação para a troca de informações. Na área da saúde, aplicativos móveis podem se conectar com outros dispositivos médicos para obter dados e relacioná-los em busca de melhorias. Pessoas com doença de Parkinson, por exemplo, podem utilizar dos benefícios da IoT: por meio de registro de temores e do local em que se encontram, os sensores enviam as informações ao médico, que pode identificar o avanço da doença e como ela se reflete na vida do paciente, garantindo um tratamento personalizado e com mais qualidade.

5. Big data
Com a tecnologia é possível, além de ter acesso a todos os dados gerados pelo hospital, usufruir de informações que outras instituições estão colhendo na área de saúde. Isso auxilia no tratamento e na prevenção de doenças. Por exemplo, ao fazer uma prescrição a um paciente, o big data permite analisar prontuários eletrônicos de outros hospitais para saber se houve casos com prescrições semelhantes que geraram problemas. Ou seja, ele analisa o histórico de vários pacientes e pode, até, emitir alertas. Isso tudo em tempo real.

Esta é a quinta matéria do especial sobre Transformação Digital. Veja as primeiras: Transformação digital #1: o risco de não mudar, Transformação digital #2: 4 pilares para uma estratégia bem-sucedida e Transformação digital revoluciona comunicação, mídia e entretenimento

 

Saiba mais:
Transformação digital #2: 4 pilares para uma estratégia bem sucedida
As 3 tecnologias mais críticas para a transformação digital
Transformação digital rápida: 4 pilares cruciais para ter sucesso

Imagem: Depositphotos

Comentários

Notícias Relacionadas

IT Mídia S.A.

Copyright 2016 IT Mídia S.A. Todos os direitos reservados.